Somos feitos de pixels.

Pedacinhos coloridos de cada vida que se juntam à nossa e que vão formando nossa alma.
Nem sempre bonitos, nem sempre felizes. Sem pedir licença vão formando a nossa imagem.
Em cada encontro, em cada contato, em cada carinho, em cada fúria, a alma vai se aprofundando, colhendo lições, se transformando.
Nunca estaremos terminados, nem como pessoas nem como um casal. Estaremos sempre, independente de nossas vontades, recebendo mais pixels. A imagem, nem sempre em alta definição, é a resposta à nossa existência. Ao longo do caminho também vamos emitindo nossos pixels.
Cada um de vocês tem vários pixels em nossa imagem e fazem parte da nossa vida, irreversivelmente.

Obrigado amigos. Tenham um 2017 cheio de alegrias.

*Texto inspirado na publicação de Cris Pizzimente, 2013